• Dono de uma bicicletaria

  • Veterano da II Guerra Mundial

Jarbas Ferreira

    Jarbas Dias Ferreira nasceu em Mogi das Cruzes (SP) em 1921. Seu pai trabalhava na Companhia Telefônica Brasileira e, por isso, teve que se mudar algumas vezes. No Vale do Paraíba, morou em Jacareí entre 1926 e 1934, depois disso chegou em São José dos Campos, cidade onde vive até hoje.

    Na década de 30, São José era uma cidade muito pobre. Jarbas conta sobre o grande número de doentes que não encontravam vagas nos sanatórios para tuberculosos da cidade e nem podiam pagar pelos tratamentos em Campos do Jordão e, por isso, morriam nas ruas. Apesar dessa memória triste, Jarbas elogia o clima e as pessoas que viviam na cidade, apontando essas duas características como grandes motivos para ele continuar morando em São José.

    Jarbas, quando jovem, trabalhou em uma bicicletaria e na Tecelagem Parahyba. O trabalho na época era todo feito manualmente e não por máquinas, como acontece hoje nas fábricas da cidade. Jarbas usa como exemplo os postes onde passavam as linhas telefônicas, que pesavam 200 quilos, e eram carregados por pessoas até onde fosse preciso.

    Em 1942, Jarbas foi convocado pelo Exército Brasileiro, serviu por três anos e, em 1944 foi enviado para participar da guerra na Itália, na II Guerra Mundial. Engajados no Exército dos Estados Unidos (5th Army), os soldados da FEB (Força Expedicionária Brasileira) participaram de batalhas como a de Monte Castelo. Jarbas atuou nessa e em outras batalhas. Lembra de passar o Natal de 1944, nas montanhas da cordilheira apenina, enfrentando um frio de 20° abaixo de zero.

    Depois que voltou da II Guerra, guerra Jarbas trabalhou por mais alguns anos na Tecelagem Parahyba e, depois, abriu sua própria bicicletaria, onde trabalha até hoje: BICICLETARIA BRASIL, na rua Rui Barbosa, em São José dos Campos.

Obra Social Célio Lemos

 

    A obra social Célio Lemos é uma instituição sem fins lucrativos, cujo objetivo é colaborar com a comunidade joseense ajudando no amparo, na alimentação e na educação de crianças carentes, enquanto seus pais trabalham. As crianças que ficam sob o cuidado da Célio Lemos recebem 5 refeições, educação infantil, assistência odontológica e de psicopedagogas.

    Atualmente a obra ajuda 197 crianças recebendo verbas da prefeitura de São Jose dos Campos e de doações privadas.

Voluntários da Pátria

 

 São José dos Campos e a Indústria 

Fotos durante a entrevista