Santa branca

          Santa Branca, fundada em 1832, é um município do Vale do Paraíba, com 13.770 habitantes, que ainda hoje preserva parte de sua arquitetura original, tornando-a um importante elemento do acervo histórico e cultural do Vale.

           Apesar da cidade ter sido oficialmente fundada em 1832, suas raízes já despontavam da Vila de Nossa Senhora da Conceição de Jacareí desde 1652.    Com um novo governo local instalado, a cidadezinha pôde se desenvolver às margens do Rio Paraíba do Sul e, por fim, originar o que chamamos hoje de Santa Branca. Um marco histórico da cidade é a chegada de padre João Batista da Silva Borges em 1833 ao povoado. Ele ocupou o posto de Vigário da Paróquia criada em 1839 e permaneceu lá até 1842.

            O título “Cidade Presépio” que acompanha a cidade desde 1950, se deve ao prefeito Waldemar Salgado que julgou necessário que o município tivesse um codinome. A partir disso, o turista Jarbas Queiróz sugeriu tal apelido, uma vez que o local tinha muitas ladeiras rodeadas de casebres e pessoas cuja simplicidade tornava o cenário similar a um presépio natalino.

            Santa Branca, como cidade histórica que é, possui muitas características próprias e tradicionais. No ramo gastronômico, o famoso “pintado na brasa” se destaca e, no cultural, as festas populares e religiosas como a Festa do Divino, a Feira Agroartesanal (FASBRA) e a Folia dos Reis têm seu lugar especial dentre as comemorações da cidade.

            Atualmente, por causa de sua natureza paradisíaca, monumentos e arquitetura (em partes conservada), e do Rio Paraíba do Sul (limpo nessa região), a cidadela atrai muitos turistas. Tudo isso além de oferecer aos visitantes um pouco dessa tradição adquirida pelo tempo e que nós, queremos, devemos e podemos preservar.